Partilha Nossa Página no Facebook Os dez segredos da vida privada de Fidel Castro ~ Canal 82 | Agência de Notícias

quarta-feira, 30 de novembro de 2016

Os dez segredos da vida privada de Fidel Castro



Líder cubano sempre teve fama de mulherengo

Jamais saberemos quantos segredos Fidel Castro levou para o túmulo.
Por décadas a fio, a vida privada do líder cubano foi guardada a sete chaves.
As motivações estariam ligadas à sua segurança, como ele próprio explicou em entrevista a jornalistas em Havana, em 2000.
"(A CIA e os exilados cubanos) querem saber se tomei ou não tomei banho, os detalhes de como está a minha próstata e querem, inclusive, raios X", afirmou.
Mas Fidel também acreditava que autoridades como ele não deveriam misturar a vida pública com a privada.
"Sendo assim, reservei-me uma liberdade absoluta", disse em um documentário em 2001.
Alguns detalhes, no entanto, escaparam dessa cuidadosa blindagem. A BBC Mundo, o serviço em espanhol da BBC, selecionou dez deles.

1. Data de nascimento

Oficialmente, Fidel nasceu em 1926. Mas pesquisadores dizem que ele veio ao mundo um ano depois, em 1927.
Mario Beira, autor do livro Fidel Castro Ruz: Um Estudo Psicanalítico, é um dos que argumentam que o pai de Fidel, Ángel Castro, mudou sua data de nascimento para que o menino pudesse pular do terceiro para o quinto ano e, com isso, cursar uma escola secundária.
Outros sustentam essa teoria com declarações que a mãe do líder cubano, Lina Ruz, e seus irmãos deram à imprensa estatal nos primeiros anos da revolução, assim como dados recolhidos pelos primeiros biógrafos locais.
Em 1977, a jornalista americana Barbara Walters perguntou a Fidel em que ano ele havia nascido.
"Fico com a data menos favorável", respondeu o líder cubano.

2. Nome

Oficialmente, seu nome era Fidel Alejandro. Mas quem teve acesso às suas certidões de nascimento ─ que são várias, devido à condição original de filho ilegítimo, posteriormente regularizada ─ assegura que ele teve outros nomes.





A historiadora brasileira Cláudia Furiati foi a primeira a documentar o assunto. No livro Fidel Castro: A História me Absolverà, publicado em 2003, ela diz que, em sua certidão de batismo de 1935, Fidel está registrado como Fidel Hipólito Ruz González.

Já a de 1938, consta outro nome: Fidel Casiano Ruz González.
E, finalmente, em 1941, quando foi reconhecido, o líder cubano passa a se chamar Fidel Alejandro Castro Ruz, nome pelo qual ficou conhecido até hoje.
Sobre o assunto, Fidel disse apenas que "em 13 de agosto (dia de seu aniversário) é o dia de São Hipólito Casiano, mas me deram o nome de Fidel por causa do homem que ia ser meu padrinho".

3. 'Fortaleza'

"Punto Cero" é o nome que os serviços de inteligência cubanos dão a Jaimanitas, como é chamada a residência de Fidel em Havana, por décadas cercada de mistério.
A primeira vez que o público viu registros do interior da casa foi em 2001, quando Dashiel Torralba, ex-namorada de um dos filhos do líder cubano, fugiu de Cuba e entregou um vídeo caseiro à rede de TV americana Univisión.
Situada em um subúrbio de Havana, em uma área onde antes se localizava um campo de golfe, trata-se de uma construção em forma de ferradura, ao redor de uma piscina.
O vídeo de Torralba mostra um longo corredor exterior, um amplo jardim com alguns brinquedos, uma cozinha com revestimento de aço inoxidável e uma mesa de jantar com oito cadeiras e uma TV, sem muitos luxos.
Na ocasião, o então vice-presidente, Carlos Lage, classificou a exibição do vídeo como uma "baixeza repugnante". Mas depois que Fidel deixou o poder, em 2008, os controles foram relaxados e algumas personalidades ganharam acesso à residência do líder cubano.
Em janeiro de 2014, por ocasião da cúpula da CELAC (Comunidade de Estados Latino-Americanos e Caribenhos) realizada em Havana, vários presidentes visitaram Fidel em sua casa. As fotos distribuídas por agências de notícias mostravam o líder cubano e seus convidados na varanda com cadeiras de balanço de vime simples.
Uma reportagem do jornal britânico The Guardian acrescenta que a "casa modesta" conta com dois andares e quatro quartos, enquanto que o diário Telegraph, também do Reino Unido, a descreve como uma construção "bem equipada" que constrasta com "a imagem de austeridade exigida dos ministros cubanos".

4. Fortuna

O patrimônio de Fidel é um assunto espinhoso, que divide correligionários e detratores.
A revista americana Forbes passou a incluí-lo em sua lista de mais ricos a partir de 1997. Em 2006, último ano em que figura na compilação, o líder cubano aparece com uma fortuna de US$ 900 milhões (R$ 3,1 bilhões).
A cifra se baseia em seu "poder econômico sobre uma rede de companhias de propriedade do Estado".
Fidel classificou a avaliação da Forbes como uma "mentira repugnante".
Outros acreditam que sua fortuna pode ser ainda maior. Segundo eles, o patrimônio do líder cubano está seria parte das chamadas "Reservas do Comandante", que inclui contas bancárias, negócios e propriedades dentro e fora de Cuba.

5. Com que roupa?

Desde o início da década de 50, Fidel Castro não era visto em público senão com vestimenta militar.
"Com o uniforme não tenho que pôr gravata todos os dias. Evita o problema de que roupa vou usar, que camisa, que calças", disse Fidel ao jornalista espanhol Ignacio Ramonet.
Em 1994, por sugestão do amigo, o escritor colombiano Gabriel García Márquez, experimentou usar uma camisa informal conhecida como "guayabera", na Conferência dos Não Alinhados, segundo o documentário Fidel, A História Não Contada, da cineasta cubana Estela Bravo.
Naquele mesmo ano, começaria também a vestir-se de terno.
Depois de uma cirurgia em 2006, a saúde fragilizada o levou a um estilo mais informal: calças e casaco esportivos. Razão pela qual a revista americana Time o incluiu em uma lista recente de governantes mais malvestidos do mundo.
E sua famosa barba? Começou a usá-la ainda nos anos 50 e nunca a abandonou.

6. Mulheres e filhos

Fidel Castro gozava de fama de mulherengo e até hoje não se sabe quantos filhos o líder cubano teve.
Em seu livro Without Fidel (2009) (Sem Fidel, em tradução livre), a jornalista americana Ann Louise Bardach disse que o total chega a 11, entre legítimos e ilegítimos.
Fidel se casou em 1948 com Mirta Diaz-Balart, jovem de uma família abastarda, que conheceu nos tempos de estudante. Com ela, teve um filho: Fidel, conhecido como Fidelito, que chegou a se encarregar do programa nuclear cubano.
O casamento acabou em 1955 e, segundo Bardach, no ano seguinte, teve três filhos de três mães diferentes.
A mais famosa é Alina Fernández. Sua mãe é Natalia Revuelta, uma jovem da alta sociedade que defendeu ardorosamente a revolução. Alina, por outro lado, fugiu de Cuba em 1993 e se tornou uma das maiores críticas do regime.
A menos conhecida é Panchita Pupo, cuja existência foi revelada por Bardach há alguns anos. Por último, nasceu Jorge Ángel, filho de María Laborde, uma admiradora que Fidel conheceu ao sair da prisão.
Em seguida, o líder cubano teve cinco filhos com a companheira de longa data, Dalia Soto del Valle, uma professora de escola que ele conheceu durante as campanhas de alfabetização dos anos 60: Alexis, Alexander, Antonio, Alejandro e Ángel.
Fidel só se casou com Dalia em 1980. Mas foi apenas em 2003 que o rosto dela se tornou conhecido em todo o país, durante uma transmissão da TV estatal.
"Enquanto não era um pai de estilo afetuoso, Fidel cumpria com suas obrigações e mantinha um olho ─ ainda que distante ─ sobre o clã. Sustentava financeiramente todos os filhos e garantia que todos teriam oportunidades", escreveu Barach.

Tag: Biografia de Fidel Castro

PARTILHA NO FACEBOOK COM AMIGOS...

AUGUSTO KENGUE CAMPOS

LIVRO: O MISTÉRIO DAS RELIGIÕES

LIVRO: O MISTÉRIO DAS RELIGIÕES

DIVULGA-TE AQUI...

DIVULGA-TE AQUI...

PROMOVA TEU EVENTO AQUI...

MÚSICO, PROMOVE-TE AQUI

MÚSICO, PROMOVE-TE AQUI

ENVIE-NOS NOVIDADES

ENVIE-NOS NOVIDADES