Partilha Nossa Página no Facebook PRISIONEIROS VENCEM DEBATE ACADEMICO FRENTE À ESTUDANTES DE DIREITO ~ Canal 82 | Agência de Notícias

sexta-feira, 9 de outubro de 2015

PRISIONEIROS VENCEM DEBATE ACADEMICO FRENTE À ESTUDANTES DE DIREITO



AUGUSTO CAMPOS | LUANDA, 09 Outubro 2015:

No final de setembro, estudantes de Direito na Universidade de Harvard, nos Estados Unidos, e detentos de um presídio de segurança máxima por crimes violentos sentaram-se lado a lado para um debate.
Competições do tipo, em que duas equipes debatem um tema pré-selecionado, são comuns em instituições de ensino americanas. Um painel neutro de juízes deveria escolher qual das equipes se saiu melhor.
Os estudantes de Harvard tinham acabado de vencer uma competição nacional e uma mundial, mas os argumentos dos prisioneiros foram mais fortes - e impressionaram os juízes.
Os detentos fazem parte de um programa desenvolvido pela faculdade Bard, no Estado de Nova York, que oferece a homens e mulheres do Centro Penal do Leste de Nova York cursos universitários gratuitos.
A equipe debatedora da prisão, formada por três homens, teve que argumentar que escolas públicas devem ter o direito de negar matrículas a alunos cujos pais entraram ilegalmente nos Estados Unidos, como é o caso de muitos imigrantes.


Os debatedores venceram, segundo Mary Nugent, uma das juízas, por argumentar que as escolas que acabam aceitando estes alunos geralmente têm qualidade pior e que, se elas se recusassem a fazê-lo, escolas de alto nível e ONGs poderiam oferecer a eles uma educação de melhor qualidade.

Os estudantes de Harvard, disse Nugent ao jornal The Wall Street Journal, não conseguiram responder completamente à argumentação.

Mas apesar dos argumentos fortes, os presos não concordavam com a premissa inicial. Um deles afirmou após o debate que jamais defenderia impedir que uma criança pudesse estudar.

Dois dias após a derrota, a equipe de Harvard escreveu em sua página no Facebook: "Poucas equipes das quais perdemos nos deixaram tão orgulhosos quanto o time incrivelmente articulado e inteligente que enfrentamos neste fim de semana".

De acordo com dados divulgados pela faculdade, apenas 2% dos detentos que se formaram pelo programa voltaram à ser detidos nos três anos seguintes (medida padrão da reincidência nos EUA).

Em geral, o índice de reincidência no Estado é de 40%, segundo o Departamento de Supervisão de Correções e Comunidade de Nova York.

Confira algumas das estratégias que têm garantido o sucesso do projeto de educação dos presos:

Segundo o site do Bard Prison Initiative (BPI), a concorrência ao projeto é de 10 presos por vaga. Só podem participar os condenados que completaram o ensino médio. Eles têm de escrever um ensaio e participar de uma entrevista. Cerca de 85% deles abandonaram a escola e completaram os estudos já na prisão.

Por isso, é comum que presos só entrem após a segunda ou terceira tentativa.

A gerente de desenvolvimento do projeto, Laura Liebman, afirma que o rigor na seleção "ajuda a determinar quais dos presos estarão realmente comprometidos com os estudos e têm paixão por aprender".

"É uma experiência de universidade intensa e exigente", disse ela à BBC Brasil em entrevista por e-mail.
Segundo o fundador do programa, Max Kenner, os estudantes na prisão são "cobrados pelos mesmos padrões, com o mesmo rigor e expectativa dos estudantes do campus principal da Bard. Eles não são tratados com condescendência pelos professores".

PARTILHA NO FACEBOOK COM AMIGOS...

AUGUSTO KENGUE CAMPOS

LIVRO: O MISTÉRIO DAS RELIGIÕES

LIVRO: O MISTÉRIO DAS RELIGIÕES

DIVULGA-TE AQUI...

DIVULGA-TE AQUI...

PROMOVA TEU EVENTO AQUI...

MÚSICO, PROMOVE-TE AQUI

MÚSICO, PROMOVE-TE AQUI

ENVIE-NOS NOVIDADES

ENVIE-NOS NOVIDADES