Partilha Nossa Página no Facebook BOLSEIROS DO INABE EM LUANDA RECLAMAM EXCESO DE BUROCRACIA ~ Canal 82 | Agência de Notícias

sexta-feira, 3 de outubro de 2014

BOLSEIROS DO INABE EM LUANDA RECLAMAM EXCESO DE BUROCRACIA


AUGUSTO CAMPOS | LUANDA, 03 Outubro 2014: O Instituto Nacional de Bolsas de Estudos (Inabe) vai obrigar os estudantes angolanos na Ucrânia, bolseiros e não bolseiros,  a irem para Rússia por causa do clima de insegurança que se regista naquele país. E deixou a ameaça para aqueles que não concordarem: aos bolseiros, o Estado angolano vai exigir o dinheiro das bolsas com juros; aos outros, não quer saber o que lhes venha a acontecer.
A decisão é rejeitada pelos estudantes, que afirmam não terem sido ouvidos pelos representantes do Inabe, no entanto, o instituto já tem tudo assinado com o governo russo para a transferência dos alunos angolanos da Ucrânia para a Rússia.
Segundo o website badtv7online, os dirigentes do Inabe em Ivano-Frankivisk, no oeste da Ucrânia, reuniram-se recentemente com os estudantes angolanos. Na ocasião, o director, Moíses Kafala Neto, informou que a transferência para a Rússia iria ser feita no prazo de três semanas, isto é, até ao final do mês de Junho.
Apesar da grande maioria dos estudantes terem rejeitado a mudança, Moisés Kafala deixou bem claro que todos são obrigados a partir dentro do prazo estipulado, sujeitando-se quem não cumprir a ordem a perder a sua bolsa e a ter de pagar com juros todo o dinheiro investido na sua educação pelo Estado angolano.
Em relação aos estudantes por conta própria, serão também transferidos, apesar de estarem a pagar do próprio bolso a sua educação. Caso não aceitem a mudança para a Rússia, Moisés Kafala afirmou que o governo irá “limpar daí as mãos”, não se responsabilizando por qualquer problema que estes venham a ter.
A situação deixou os estudantes indignados, porque em nenhum momento lhes foi pedida a opinião sobre uma decisão que afecta as suas vidas e a sua formação.
“Nós estamos bem aqui, e não pedimos ajuda ao governo para que nos evacuasse da Ucrânia, uma vez que a situação encontra-se calma e os conflitos estão concentrados só em duas regiões, por enquanto, que são Donetsk e Lugansk”, disseram os estudantes, citados pelo site ucraniano.
O ex-presidente da comunidade angolana em Lviv, António Mabiala, salientou que transferir todos os estudantes para a Rússia é uma decisão precipitada, que deveria haver evacuação de Donetsk e Lugansk, que são as regiões onde há conflitos neste momento.
Além disso, há estudantes angolanos que estão na Ucrânia ao abrigo de bolsas de cooperação que são pagas pelo Estado ucraniano, como fica a situação desses estudantes?
“Os elementos da embaixada de Angola na Rússia terão um contacto oficial com os ministérios da educação e de segurança interna da Ucrânia, afim de informar deste processo de evacuação dos estudantes para Rússia, visto que existem aqui estudantes com bolsas de cooperação”, pergunta Mabiala.
Finalmente, e essa é uma questão essencial para a sobrevivência dos bolseiros e não bolseiros, alguém teve em conta a diferença de custo de vida?
António Mabiala não percebe como é que os estudantes, com as suas actuais bolsas, vão pagar estudos, casa e comida numa cidade como Moscovo, que é uma das mais caras do mundo: “É sete vezes mais cara que qualquer cidade na Ucrânia”.

RA  
 
PARTILHA NO FACEBOOK COM AMIGOS...

AUGUSTO KENGUE CAMPOS

LIVRO: O MISTÉRIO DAS RELIGIÕES

LIVRO: O MISTÉRIO DAS RELIGIÕES

DIVULGA-TE AQUI...

DIVULGA-TE AQUI...

PROMOVA TEU EVENTO AQUI...

MÚSICO, PROMOVE-TE AQUI

MÚSICO, PROMOVE-TE AQUI

ENVIE-NOS NOVIDADES

ENVIE-NOS NOVIDADES