Partilha Nossa Página no Facebook Obama desafia Trump com atribuição de Medalhas da Liberdade ~ Canal 82 | Agência de Notícias

terça-feira, 22 de novembro de 2016

Obama desafia Trump com atribuição de Medalhas da Liberdade



Presidente diz que, após deixar a Casa Branca, não ficará calado se Trump puser em causa "valores fundamentais" do país.

O melhor marcador de sempre da Associação Nacional de Basquetebol (NBA), Kareem Abdul-Jabbar, uma ativista dos direitos das comunidades nativas americanas, Louise Cobell (a título póstumo), o atleta afro-americano Michael Jordan, a escultora e ambientalista de origem chinesa Maya Lin, a atriz Ellen DeGeneres, que revelou ser lésbica em 1997 e tem sido ativa defensora das minorias sexuais, o reitor da segunda maior instituição do ensino superior nos Estados Unidos, o americo-cubano Eduardo J. Padrón - são alguns dos distinguidos com a Medalha da Liberdade, a mais alta condecoração civil que será hoje entregue por Barack Obama em cerimónia na Casa Branca.

Além destes, há mais 15 distinguidos naquela que será a última escolha do presidente democrata para esta cerimónia anual. E o perfil dos 21 escolhidos sintetiza aquilo que torna única a sociedade americana e a sua escolha parece constituir um desafio e a negação de muito daquilo que foi dito pelo presidente eleito, o republicano Donald Trump.

Outros nomes incluem o casal Bill e Melinda Gates, que tem consagrado parte da sua fortuna ao apoio aos mais desfavorecidos, a contra-almirante Grace Hopper, considerada a "primeira dama do software", o jurista Newt Minow, que teve papel importante na definição da natureza do serviço de televisão dos EUA, ou ainda a matemática e cientista Margaret H. Hamilton, responsável pela equipa que criou o software para os módulos de comando e de aterragem do programa espacial Apollo.

Há ainda um dos nomes maiores músicos da cena rock, o compositor e intérprete Bruce Springsteen, a afro-americana Diana Ross, com uma carreira de mais de cinco décadas dedicada à música, o ator e realizador Robert Redford, mais dois atores, Robert de Niro e Tom Hanks, o arquiteto Frank Gehry, o físico Richard Garwin. Obama escolheu ainda Lorne Michaels, criador do Saturday Night Live, o radialista Vin Scully, e a atriz afro-americana Cicely Tyson, que participou na série Raízes.

As origens étnico-sociais, o percurso profissional e pessoal, assim como suas motivações, foram enunciadas por Obama como as razões que "ajudaram a América a seguir em frente, inspirando milhões de pessoas em todo o mundo". Para o presidente cessante, a entrega desta distinção civil é uma "homenagem à ideia de que todos nós, não importa quais tenham sido as nossas origens, temos a oportunidade de mudar para melhor o país".

Sobre o atual momento político, Obama foi ontem interrogado, à margem da cimeira da APEC em Lima, no Peru, se pensa ser o "último presidente democrata", devido à vitória inesperada do candidato republicano, o ainda inquilino da Casa Branca disse "não estar preocupado... nem um pouco". Notando que as eleições "foram extremamente competitivas" e que a candidata democrata "ganhou o voto popular", o presidente cessante reconheceu que o seu partido tinha de realizar "algum tipo de introspeção". Para Obama, "alguns equilíbrios do passado estão a ser redefinidos em ambos os partidos" e os democratas devem "pensar na forma de passarem com sucesso a sua mensagem".

Ainda no mesmo encontro com a imprensa, Obama recusou aderir à tradição de que os presidentes cessantes se abstêm de comentar as decisões dos seus sucessores. "Se houver questões não diretamente relacionadas com propostas legislativas específicas, mas têm a ver com os nossos valores fundamentais e se eu considerar ser necessário defender esses ideais, então verei o que devo fazer", disse Obama.

Do lado do presidente eleito, Trump prosseguiu uma maratona de encontros, estando agendados nove só para ontem. Entre estes, o futuro presidente republicano, reuniu-se com o antigo dirigente da Câmara dos Representantes, Newt Gingrich, entre 1995 e 1999, e Rick Perry, candidato às primárias republicanas de 2012 e 2016 e ex-governador do Texas.

Entre as especulações para importantes cargos, referia-se Mitt Romney, derrotado em 2012 por Obama, para secretário de Estado e o de um general dos marines, James Mattis, para o Pentágono. Mas Trump garantia ontem que a divulgação de nomes só será feita mais para diante.

DN


PARTILHA NO FACEBOOK COM AMIGOS...

AUGUSTO KENGUE CAMPOS

LIVRO: O MISTÉRIO DAS RELIGIÕES

LIVRO: O MISTÉRIO DAS RELIGIÕES

DIVULGA-TE AQUI...

DIVULGA-TE AQUI...

PROMOVA TEU EVENTO AQUI...

MÚSICO, PROMOVE-TE AQUI

MÚSICO, PROMOVE-TE AQUI

ENVIE-NOS NOVIDADES

ENVIE-NOS NOVIDADES